segunda-feira, 24 de novembro de 2008

JOHN OWEN A PESSOA DE CRISTO: O FUNDAMENTO DE TODO O CONSELHO DE DEUS - FINAL



Desse modo todas as coisas foram originalmente feitas e criadas por Ele, como Ele é a essencial sabedoria de Deus – assim todas as coisas são renovadas e regeneradas por Ele, como Ele é a provisional sabedoria de Deus, pela Sua encarnação.
Portanto, todas essas coisas são ajuntadas e comparadas em Sua glória. Ele é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação;Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele.
E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência. (Cl 1:15-18)
Duas coisas, como o fundamento atribuídas ao Senhor Jesus Cristo na exposição desse raciocínio, são declaradas: verso 15, que Ele é “a imagem do Deus invisível” e que Ele é “o primogênito de toda a criação”; coisas que parecem muito distantes de si mesmas, mas gloriosamente são unidas e centradas em Sua pessoa.
Ele é a “imagem do Deus invisível,” ou como é expressado em outras passagens, Ele é “em forma de Deus” – Sua forma essencial, não há nenhuma outra forma na divina natureza – e “ o resplendor da sua glória, e a expressa imagem da sua pessoa”.
Ele é chamado aqui de o “Deus invisível”, não absolutamente em relação a Sua essência, ainda que seja verdade – a divina essência sendo absolutamente invisível e de tal modo equivalente, se considerar como no Pai ou no Filho – mas Ele é chamado assim em relação aos Seus conselhos, Sua vontade, Seu amor e Sua graça. Por essa razão ninguém jamais o viu em qualquer época; mas seu único primogênito, que está no seio do Pai, declara dEle: João 1:18
Como Ele é assim essencialmente, a eterna imagem do Deus invisível, Sua sabedoria e poder – a eficiência da primeira criação e esta existência consistente, é descrita nEle: ‘Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis.”
E por causa do grande conceito e compreensão que de certo modo então havia no mundo – especialmente entre os judeus, de quem o apóstolo tinha consideração nesta epístola – da grandeza e glória da parte invisível da criação no céu, ele menciona-os em particular, sob a glória máxima que qualquer posição poderia ter, ou de então, descreve-a – “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.” – a mesma expressão é empregada por Deus em Rm 11:36 e Ap 4:11.
Acrescentando até agora outros trechos para este propósito, João1:1-3, Hb 1:1-3 e esses que não estão sob a eficácia das obsessões espirituais, não podem mas ficam perplexos ante a capacidade do descrente, de sua ignorância e cegueira das mentes e a astúcia de Satanás, nos que negam a divina natureza de Jesus Cristo.
Pelo que o apóstolo plenamente afirma, essas obras da criação demonstram o eterno poder e divindade dEle por quem eles foram criados; (Rm 1;19-20) e não somente por esta razão, mas é indiscutivelmente evidente à luz da natureza: esta criação sendo diretamente, expressamente, freqüentemente afirmada que todas as coisas, absolutamente e em suas divisões nos céus e terra com as coisas contidas respectivamente nelas foram feitas e criadas por Cristo – é a suprema rebelião contra a luz e ensinos de Deus, não acreditar em Sua divina existência e poder.
Novamente é acrescido que Ele é “o primogênito de toda a criação”; que principalmente relaciona a nova criação como é declarada (vers. 18) “E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência.”
Para nEle estar todos os conselhos de Deus depositados para a recuperação de todas as coisas em si mesmo – quando encarnou.
E o cumprimento desses conselhos de Deus por Ele, o apóstolo declara extensivamente em diversos versículos.
E essas coisas são ambas unidas e integradas neste ponto. Como Deus Pai nada fez primeiro na criação mas através do Filho – como Sua eterna sabedoria (John 1:3, Hb 1:2, Pv 8) assim Ele não intencionou nada na nova criação, ou restauração de todas as coisas em Sua glória, mas nEle – como Ele havia sido encarnado.
Para que em Sua pessoa fossem depositados todos os fundamentos dos conselhos de Deus para a santificação e salvação da Igreja.
Nisso Ele é glorificado e em um modo extraordinariamente inexprimível toda a glória que há nEle da primeira criação, tinha todas as coisas permanentes em sua primitiva constituição.
SUA PESSOA, POR ESSA RAZÃO, É O FUNDAMENTO DA IGREJA – O GRANDE MISTÉRIO DA DIVINDADE, OU A CRENÇA QUE PROFESSAMOS – A GENUÍNA VIDA E ALMA DE TODA VERDADE ESPIRITUAL – EM QUE OS CONSELHOS DE SABEDORIA, GRAÇA E BONDADE, PARA A REDENÇÃO, VOCAÇÃO, SANTIFICAÇÃO E SALVAÇÃO DA IGREJA SEJAM TODOS POSTOS NELE E POR ELE TUDO VENHA A SER CUMPRIDO.